quinta-feira, 6 de Dezembro de 2012

TSD Podcast 31 - Shishio Entrevista + Mix


Take a step to Dub - Quem é o Shishio? 

Shishio - Curiosamente, Shishio é uma personagem de um manga, mas neste caso, é um jovem de 21 anos vindo de Portugal, com uma enorme paixão pela música e, principalmente, pelos graves, que tenta fazer malhas no seu dia-a-dia. 

TSD - Quando é que o djing e a produção entraram na tua vida e que impacto teve? 

S - Já antes de ouvir Dubstep, tinha a ideia de fazer música, mas nunca a tinha levado a sério. 

Depois, após conhecer o género, tive uma enorme vontade de recriar os sons que ouvia e foi, basicamente, assim que a produção entrou na minha vida. 

Em termos de Djing, eu em casa brincava com o virtual Dj e tinha uma certa noção que não ia sair dali  até porque as pessoas, pelo menos em Setúbal, não conheciam Dubstep, até que um dia, em 2010, um grande amigo meu, que já tocava a algum tempo Drum And Bass, perguntou-me se queria tocar numa festa. 

Com grande receio, aceitei e no final, o meu set teve uma grande adesão por parte da crowd e até algumas pessoas que desconhecia me vieram dar os parabéns, e isso teve um grande impacto claro. 

TSD - Como é que o Dubstep entrou na tua vida e o que mais te chamou nele? 

S - O Dubstep entrou na minha vida numa altura onde o Drum And Bass estava no seu auge na cidade de Setúbal, mas não sendo grande fã do estilo, tive conhecimento do Dubstep a partir desse mesmo à cerca de 6 anos atrás. 

O que mais me chamou nele foram as suas batidas a meio tempo e os graves baixos, como ouvia bandas de Hardcore, conseguia relacionar essas batidas aos chamados “breakdowns” nas músicas, e sempre me cativou. 

TSD - Como vês o actual estado do Dubstep? 

S - Para ser sincero, não gosto muito do rumo que está a tomar na vertente mais comercial, mas como é um género musical gigante, tenho noção que há muito talento e muitos produtores que se mantêm verdadeiros ao seu verdadeiro significado e são esses que tento acompanhar actualmente. 

TSD - Em termos musicais, qual ou quais os projectos que tem te chamado atenção nos últimos tempos? 

S - Há por aí muitos jovens produtores com boas sonoridades e tenho dado especial atenção a esses mesmos. 

Destaco Requake, Trampa, Sadhu, Badklaat, Bukez Finezt, KLRGRM, Megalodon, Teknian e muitos mais. 

TSD - Quais são os objectivos para o futuro? 

S - O meu único objectivo é sentir-me sempre motivado para continuar. 

Esta é a minha paixão, sei que com empenho e trabalho árduo conseguirei ter algum reconhecimento, mesmo que seja pouco, para mim já é uma conquista. 

TSD - Uma mensagem para os nossos leitores. 

S - Primeiramente, queria agradecer ao TSD pela oportunidade e também aqueles que sempre me apoiaram e foram meus amigos no meio. 

Queria também mandar um big up aos ouvintes e leitores, e à crew a que pertenço, Warface, nomeadamente, Sinner, Skafia, Smuggla, Roosta, Segment e Vinz; e fora do colectivo, aos Zero Degrees, principalmente ao Gil Nunes (G-Trash) que sempre me incentivou no mundo do Djing. 

Espero que gostem da mix e da entrevista e obrigado por ouvirem.



Sem comentários:

Enviar um comentário